Super Passos

Corridas de rua passo a passo

⇒ Por que toda dificuldade na corrida é passageira?

Tudo aquilo que treinamos com frequência, torna-se fácil

Por Rafael Paiva

O cansaço aparece no treino. Falta energia para correr mais rápido. A cabeça diz: "quero caminhar". Há uma dor nas pernas, panturrilha e canela que incomodam no trajeto. Surge uma exaustão aguda após o exercício físico. Até que essa sensação de desconforto abala a determinação nas corridas e pensamos em desistir.

A verdade é que esse desconforto sempre é passageiro. Quem persiste, melhora, apesar das dificuldades. Essa é a garantia de uma regra básica da atividade física, que assegura: essas reações agudas desconfortáveis se transformam em efeitos positivos pelo treinamento. Ou seja, é normal sentir tudo aquilo durante os treinos, desde que não seja algo tremendamente excessivo, pois apenas indica que o condicionamento físico e fortalecimento muscular precisam melhorar. O problema não está na corrida de rua, e sim, na aptidão física.

O nosso corpo fica mais forte com o tempo. A resistência cresce e o fôlego aumenta aos poucos. A passada se torna leve e econômica à medida em que os treinos avançam. O coração fortalece gradativamente e começa a necessitar de menos batidas por minuto para bombear todo o sangue necessário durante a atividade física. A circulação sanguínea melhora e também se torna mais eficiente para entregar o que os músculos precisam para completar a nossa corrida de rua.

Diante da continuidade nos treinos, naturalmente, ficamos mais resistentes e fortes. O que antes era difícil torna-se fácil com o tempo. Ocorre uma progressão normal na atividade física quando permanecemos em atividade. Aquelas sensações agudas de dor, falta de gás na corrida e vontade de caminhar geram efeitos positivos no corpo e na mente ao resistir e permanecer correndo, mesmo com as dificuldades iniciais.

As dificuldades passam, os efeitos do treino permanecem

Moral da História

Tudo aquilo que nos dedicamos, evolui.